Escureceu na boca da mata
Faltou comida na boca do povo
É Carnaval na boca da vida

E quem pode não se move
A terra faz tremer
Poeta eu pergunto o que fazer

Pego o bonde dou traseira
Pra descer na contramão
Que solução
É jogo de cintura
Sim ou não

Viro Mandrake na boca da vida
Pouca emoção na boca do povo

Pego o bonde dou traseira
Pra descer na contramão
Que solução
É jogo de cintura
Sim ou não

Sim ou não
Sim ou não
Ser ou não ser
Eis a questão
Ser um poeta louco
Algo assim zás-trás
Na lucidez
Do seu olhar fugaz